terça-feira, maio 31, 2016

Pôsters grátis: decore seu lar


Sempre que dá e a minha criatividade permite, eu faço pôsters para decorar nosso refúgio colorido. Faço pra mim, sem pretensão alguma. Faço porque gosto. Fim. Descobri que essa é uma forma super bacana e barata de dá um up na decoração da casa. Percebi também, que sempre que eu publico fotos deles no instagram chove um monte de perguntas do tipo: "onde você comprou o quadro?", " de que loja é o poster". Gente, eu fico suuuuper feliz que gostem. De verdade. Mas infelizmente não tenho como enviar o arquivo para cada uma, individualmente por e-mail. Desculpa. Meu tempo de mãe de primeira viagem é curtíííííssimo mesmo. 
Mas como promessa é divida e, eu tinha prometido disponibilizá-los por aqui, és que o dia chegou. Ebaaaaaa! 
Aqui estão eles, prontinhos para você baixar no seu computador e imprimir (é só clicar nas imagens). <3







Olha, eles podem ser impressos numa impressora caseira (estão em alta resolução). Mas, eu sugiro levar os arquivos numa gráfica e imprimi-los em um papel melhor, sabe? Garanto que não sai caro e o resultado final sempre compensa. Sua casa merece, diz que não?! 
Depois é só colocar numa moldura bacana, escolher aquela parede super sem graça que você tem por aí, e me mostra o resultado final depois. Combinado? =)
Beijos,
Mari.

P.S.: Os daqui imprimir no tamanho 50 x 60 cm em lona. Adorei! =)

segunda-feira, fevereiro 22, 2016

Decoração: projeto da cama do quarto do Antônio.



Quem diria que a caminha que fiz para o quartinho do Antônio renderia uma postagem só dela. Mas, depois que publiquei algumas fotos do projeto no instagram, comecei a receber um monte de mensagens e e-mails com perguntas de como fiz. Então, achei mais prático dividir os detalhes por aqui e ajudar todas as mamães que me pediram, carinhosamente, um "help!" de uma vez, já que as perguntas eram semelhantes. =)














Bom, como já tinha falado aqui, resolvemos fazer uma cama para o Antônio e aposentar o berço de vez, quando ele tinha uns 5 meses (ele está com 15 meses) e, desde então, só temos coisas boas pra contar sobre essa mudança. De verdade. Uma pegunta muito frequente que recebo é: "Por quê mandou fazer e não comprou uma já pronta? Não era mais fácil?". 

Não para a nossa realidade. Lembro que na época, pensei sim, em algumas opções de camas já prontas. Mas tive um motivo maior que não me fez ir com ideia adiante: a cama do Antônio precisava ser maior que os modelos prontos, pois percebemos que ele pedia mais espaço para dormir. A gente notou que sempre que ele dormia, se virava, tentava ficar em posições variadas e o espaço no berço não permitia. Então, ele acordava irritado, chorando, e assim ficava até a gente conseguir acalmá-lo. Era horrível! Como explicar pra uma bebê que naquela posição não seria possível ele dormir, pois não tinha espaço? Resultado: o berço dele, em pouco tempo, se tornou o grande problema na vida do Antônio e na nossa também.

Foi um período muito insano de privação de sono, tanto dele quanto nossa. Até que eu tive a ideia de comprar mais um colchão de berço, juntá-los e fazer um teste. Deixamos ele dormindo por uma semana, só durante as sonecas da manhã e da tarde. O resultado foi tão positivo, ele dormiu tão bem, acordava tão feliz, que no final da semana fiz o projeto e encomendei logo para meu marceneiro. Me recusei a esperar mais um dia.

Bom, o projeto da cama dele não tem mistério, é super simples, mas é funcional: ela é feita em MDF branco, de 15 mm de espessura, com dois colchões de berço, nas mesmas medidas (isso é importante para não ter desnível), juntos. Podia ter sido um colchão sob medida também, eu que não tinha cabeça pra ir atrás de um na época. 

A cama foi projetada conforme as medidas dos colchões do berço que ele tem: 







Para essas medidas a cama ficou com as seguintes dimensões:









No projeto, pensei para a parte da frente, um rebaixo (6 cm) e também bordas boleadas, para evitar acidentes. Já as laterais e o fundo ficaram mais altos (17 cm), para prender bem os colchões e evitar que eles escapassem, já que a cama fica posicionada no meio do quarto. =)






O fundo da cama tem um chapa fina de MDF branco para evitar que os colchões fiquem diretamente sobre o chão. Pedi que essa chapa fosse laminada dos dois lados, para impedir formação de mofo ou bolor (devido à umidade de Belém) e para facilitar a limpeza, também. No futuro a ideia é encomendar um colchão sob medida e aposentar os de berço. Mas por hora, estamos muito bem assim. E o melhor: o Antônio está feliz! E isso é o que importa. 




A cama deu a ele não só qualidade de sono, mas também autonomia! Agora ele entra e sai da cama sozinho, já entende que pode deitar lá quando tem sono ou vontade de brincar, sem nos pedir ajuda para entrar ou sair.


E, pelo tamanho dela, sempre que ele me chama à noite eu ainda consigo deitar ao lado dele, amamentar e ficar lá até ele adormecer, novamente. Ela não é tão grande gente, mas funciona nesses momentos pra gente, sim. <3

O que posso afirmar é que a nossa experiência com a cama, foi a mais positiva possível. Tanto, que quando vier o próximo filho a ideia é já deixá-lo na caminha desde cedo, também. Mas é a nossa vivência, meu povo. Não quero aqui ditar regras, nem impor nada. A intenção é só ajudar quem me pediu ajuda. =) 

Bom, é isso. Se ainda restar alguma dúvida sobre o projeto de marcenaria, deixa um comentário aqui que eu PRO-ME-TO não demorar pra responder. Prometo!  

Até mais,
Mari.  

sábado, janeiro 09, 2016

Pôsters grátis: para você começar o ano mais feliz.

Sempre que um ano inicia, vem junto com ele um monte de vontades: de começar, de recomeçar, de melhorar, de mudar, de fazer mais ou de fazer diferente. São tantos planos, tantas listas de desejos, não é? Por aqui não é diferente. Sei que no ano a que acabamos de dar "tchau", esse humilde bloguinho ficou um pouco apagadinho. Tadinho! Eu mais do que ninguém senti muita saudade dele. Tentei vir aqui várias vezes, acreditem. Mas, por vários motivos, não consegui realizar a minha lista de desejos para ele. 

Mas, como disse, o ano está só começando e tenho novos 365 dias - um pouco menos agora - para fazer diferente. Então, já começo o primeiro post do ano me desculpando com vocês pelo sumiço. Não tenho como contar aqui, tuuuuuudo o que aconteceu em 2015 depois que o Antônio nasceu, pois o post seria IN-FI-NI-TO! Mas posso te dizer que 2016 já começou cheio de energia boa e muita vontade de continuar espalhando cor para vocês por aqui. Vamos juntos? 

Outra coisa que eu sei, também, é que quando um ano começa a gente sempre quer arrumar o nosso lar. Não é verdade? A gente pensa várias coisas: renovar a cor da casa, trocar as capas das almofadas, reformar um móvel que está bem capenga, colocar um toque de verde na casa... Sei que a lista é grande. Sempre é (a minha também), e que nela sempre tem o item: "dar uma alegrada naquela parede sem graça que ficou o ano todo esquecida".
Diz pra mim se não acertei? E pensando nisso, eu deixo aqui uns presentinhos singelos, para você baixar, imprimir, emoldurar, ficar toda feliz e riscar de vez esse item da sua lista. Se animou?

Ó, dois deles o "mais amor por favor" e o "+ cor por favor" vocês já conhecem desde 2013. Lembram? Mas como sempre me pedem o arquivo, eu resolvi compartilhar por aqui. Os outros dois são novinhos e foram feitos com muito carinho para colorir o lar de vocês. Fiquem à vontade para clicar na imagem e baixar o mais queridinho ou em todos. Você decide. =) 





    













Ah, e sejam muito, mas muito felizes em 2016! É o meu maior desejo para todos vocês. E que venha acompanhado de muita cor e muito amor!
beijos, 
Mari.

quarta-feira, dezembro 09, 2015

Maternidade: lidando com as primeiras birras.



Desde que o Antônio começou explorar a casa, logo ele descobriu que tínhamos em casa uma estante de livros. E ao longo dos meses, confesso, isso se tornou uma tarefa árdua e cansativa demais para mim e para o Fa. Toda hora, lá ia o Antônio, feito um foguetinho, atirar no chão todos os os livros que estavam ao alcance dele e tentar rasgar e babar o maior número de páginas possíveis antes que nós chegássemos para acaba a sua festa. Por conta disso, muitos dos nosso livros acabaram estragando. =(

E, como explicar para um bebê, na época com uns 8 meses, que ele não podia brincar de jogar os livros no chão para depois rasgá-los, babá-los?

Até que um dia, depois que o coloquei para tirar a soneca da tarde, resolvi tirar uma pulga que estava atrás da minha orelha há uns dias (ou seguir meu instinto materno), chame isso como achar melhor: tirei os livros da estante que ficavam no seu campo de visão e, no lugar, montei um espaço apenas com alguns brinquedos e livros dele. Pliiiim! Como em um passe de mágica a questão com os livros foi simplesmente resolvida. 

Moral da história 1: no final das contas, o Antônio estava nos sinalizando, da forma dele, que ele queria usar aquele espaço da casa para brincar também e, como lá não tinha nada apropriado para idade dele, ele acabava brincando com o que tinha.  

E antes que você se/me pergunte: sim, ele tinha um balde com brinquedos disponível. Sempre teve, na verdade. Mas agora ele me dizia que queria mais. Afinal, agora não está na fase de ele explorar o mundo? 
De alguma forma, o Antônio percebeu que escalar parte da nossa estante era um grande barato! E que ir até o balde já não era uma aventura tãããão divertida assim. =) 

Moral da história 2: eu tenho percebido que ter um olhar atencioso e cuidadoso sobre meu filho tem me levado a uma maternidade mais serena e feliz, cheia de grandes alegrias e de muito aprendizado.

P.S.: Gratidão, meu filho, #gratidão. <3.
Mari. 

quinta-feira, dezembro 03, 2015

O instagram virou uma fábrica de seguidores?

 

Hoje eu recebi um comentário no meu IG que me deixou estarrecida. Alguém, despido de qualquer sutileza, mas vestido completamente de sua cara de pau, me oferecia “amigavelmente” ajuda, para conseguir mais seguidores para o meu perfil no instagram. A proposta era R$ 800 por 10 mil seguidores! Oi?! Fiquei refletindo sobre o comentário por alguns minutos sem saber se me dava ao trabalho de responder (educadamente): “Ah, obrigada pela oferta, mas não!”, se perguntava: “ Ou seu Zé Mané? Tu tá doido? Quem te disse que quero esse tipo de serviço?” ou se eu deletava logo de cara o comentário do infeliz. Acabei não fazendo nenhuma das alternativas, mas fui preparar o almoço do Antônio pensando sobre o assunto. Gente, quando foi que ter muitos seguidores virou o foco, o grande divertimento do instagram? Me senti, de verdade, como se tivesse perdido um episódio importante da minha série favorita e ninguém tivesse me contado o final.  
Sempre achei (e não me achem bobinha por pensar assim), que a beleza do aplicativo estava em compartilhar momentos, coisas legais. Sei lá... Ingenuidade minha? Pode ser. Ok, eu não vou ser hipócrita em te dizer que acredito apenas nessa máxima. Sei que hoje ele virou uma verdadeira vitrine, onde se vende não apenas uma imagem, mas o produto que se deseja, e que cada um publica o que bem entender. Bom, acho que até aqui concordamos em algum ponto. Eu também não quero entrar no mérito do tipo de conteúdo publicado por lá. A questão aqui é outra: a necessidade desvairada de se ter seguidores, como se isso e, apenas isso, fosse o grande barato do negócio. Sério? É isso mesmo? Quero acreditar que não.


Ao contrário do que muita gente pensa, eu não entendo quem compra seus seguidores. Gente, é desrespeitoso demais! É feio! É triste! Fim. E não acho que só o fato do aplicativo ranquear melhor quem tem um número significativo de seguidores, e isso gere desdobramento positivo para quem ganha dinheiro por lá, justifique esse tipo de ação. Prefiro acreditar que é possível crescer sem comprar ninguém. 
O teu conteúdo é interessante? O teu produto é muito bom? Então, vai rolar. Uma hora vai.

Enquanto tem gente gastando toda energia da sua vida, nesse momento, em busca de novos seguidores, eu fico aqui com umas certezas: no meu IG não rola “SDV” e o famoso “troco likes”. Lá, assim como eu só posto aquilo que eu tenho vontade e só sigo aqueles com os quais me identifico, quero que me acompanhe apenas quem gosta do que eu publico e que me siga realmente quem quer. <3

Mari.


domingo, novembro 29, 2015

1 ano do Antônio, uma festa para o nosso solzinho, para nossa família.

Chegou o grande dia! O nosso solzinho completou 1 ano. Dia 21/11/2015, sábado passado, estávamos aqui reunidos celebrando o primeiro ano do nosso menino em nossa vida. E não vou dizer "parece que foi ontem" pois para mim, é como se ele sempre estivesse aqui. Na verdade, me perguntei o tempo todo: como pode ser apenas o primeiro ano ao lado dele? 

Resolvemos comemorar o primeiro ano do Antônio em nossa casa, no nosso refúgio. Não imaginaria celebrar em outro lugar do mundo! Afinal, foi aqui que vivenciamos tudo, desde que o Antônio nasceu. É no nosso lar que temos as doces lembranças desse primeiro ano dele. É aqui, no nosso refúgio, que ele se sente realmente seguro e feliz. Tudo aqui faz sentido para ele. Então, abrimos a nossa casa aos familiares mais próximos e aos amigos mais chegados para festejar esse dia tão especial conosco.

Na decoração, não escolhi nenhum tema. Então, fui fazendo tudo livremente, mas bem colorido, pois não podia ser diferente. Enfeitei a casa com muitos balões e muitas fitas coloridas!


   
Tudo foi feito em casa e quase tudo, por mim. Mas claro, tive ajuda em alguns momentos, sim. Fazer uma festa em casa sozinha não dá. Por mais simples que tenha sido tudo, eu tive a ajuda da vovó Cris (mãe do Fa). Foi ela a grande responsável pelas toalhas mais lindas da festa, entre outras coisinhas. Também tive ajuda da titia Marilda (minha irmã) e da prima Tatá (minha sobrinha), que chegaram de viagem um dia antes da festa e ajudaram no dia, montando a decoração comigo. 

Entre os vários detalhes da decoração tinham: o móbile de fitas de cetim, que foi a grande alegria das crianças, o cordão com fotos do Antônio, contando um pouco desse primeiro ano dele e o poster "você é nosso solzinho", que eu fiz e mandei imprimir numa gráfica. 




Fiz também uns toppers fofos com o rostinho do Antônio para decorar a mesinha. Já falei sobre eles lá no instagram. A inspiração para elas e outras coisinhas que fiz na mesma linha veio do blog da Louisa Kopp que eu curto bastante o Ice Cream Off Paper Plates.




E usei o baleiro da casa da vovó Cris, para colocar balas para as crianças que já podem comer doces. 










Ah, o nosso mordomo (o James) recebeu um chapéu de festa e ficou responsável por entregar as lembrancinhas


E um painel-poster contando um pouco da aventura que foi esse primeiro ano do Antônio foi colocado logo na entrada, com a ajuda do meu cavalete de pintura, para os convidados visualizarem na chegada.


E a Maria, senhora que nos ajuda com os cuidados da casa e que também é uma cozinheira de mão cheia, foi a grande encarregada dos quitutes mais saborosos da festa. Mas claro que eu não esqueci das comidinhas do Antônio. =)

















E ASSIM FICOU A FESTA DO SOLZINHO!












Na foto faltava apenas colocar os brigadeiros de copinho. =)




Foi uma tarde linda, marcada na verdade, por muitas celebrações.


Comemoramos não apenas o primeiro aniversário do nosso menino, mas o nosso primeiro ano de uma vida nova, regada por um amor infinito que ganhamos de presente do Antônio quando ele nasceu. Celebramos o nosso primeiro ano como pais e toda a nossa dedicação e entrega ao nosso filho. Festejamos também, o primeiro ano da nossa família, nosso bem mais sagrado, e isso para mim e para o Fa é mais do que um motivo para festejar!

beijos, 
Mari.

terça-feira, julho 07, 2015

Decoração- modificações no quarto do Antônio.

O Antônio está prestes a completar 8 meses (como passa rápido!) e já fizemos algumas modificações no seu quartinho. Lembra dele? Claro que não foi nada grandioso, dispendioso, com quebra-quebra e tal. Mas acho que foram mudanças importantes e bem significativas para o seu desenvolvimento, o que me deixou bem feliz por fazê-las.
Para entender melhor o porquê de tais mudanças, tão cedo, eu preciso te falar uma coisa: somos simpatizantes do método desenvolvido pela Maria Montessori. Conhece? Li e pesquisei bastante sobre o método Montessoriano, quando o Antônio ainda estava na minha barriga. Eu e o Fa gostamos muito das diretrizes do método que enfatiza (falando de maneira bem resumida), a importância de se criar um ambiente estimulante, de maneira que a criança seja capaz de aprender por ela mesma por meio de suas próprias experiências.
Mas, mesmo acreditando nisso, não quisemos fazer um quarto Montessoriano, logo de cara. Queríamos primeiro sentir como seria sua adaptação em casa, como seriam os nossos primeiros meses de intensivo juntos. Afinal, é tanta novidade e aprendizado juntos... Então, resolvemos que as adaptações do quarto dele seriam feitas aos poucos, com calma, de acordo com o seu crescimento. Como não gosto de rótulos, não posso falar que o quarto do Antônio é ou será um quarto genuinamente Montessoriano. Mas sim, um quarto que tem uma forte influência do método.
Bom, a primeira grande mudança que fizemos foi a troca do berço pela cama. Essa mudança aconteceu por volta dos 5 meses dele. Na verdade, foi ele mesmo que nos sinalizou que já estava na hora dessa mudança. Como? Quando ele começou a acordar várias vezes durante à noite, chorando, irritado, sempre atravessado no berço. Isso enlouquece qualquer pai/mãe, gente! Logo ele que sempre dormiu tão bem. O que estava acontecendo???
Acendeu, então, um sinal vermelho na minha cabeça! Que talvez ele tivesse me mostrando, da maneira dele, que era preciso eu lhe dar mais espaço na hora de dormir. E eu estava certíssima! =)

Então, sem drama, saiu o berço e entrou a cama dele, que eu mesma projetei e um marceneiro de confiança executou para mim. Pensei em uma cama com bastante espaço e bem baixinha, rente ao chão, assim como o método propõe, justamente para ele ter mais autonomia e liberdade de movimentos.


Para a cama ficar nas medidas atuais, eu tive que comprar mais um colchão de berço e colocá-los lado a lado na estrutura de MDF branco que eu projetei. Na frente dela coloquei duas placas de EVA (50 x 50 cm), que reforçam a segurança caso ele role para fora da cama durante o sono.



Por hora, o cortinado continua, dando um clima de cabaninha.


A segunda mudança foi na reorganização dos brinquedos. No quarto dele já tinha um móvel amarelo baixo, onde eu organizava alguns livros e DVDs, que ele herdou de mim e do Fa, entre outras coisas. Mas como ele agora brinca, interage com a casa que mora e já dá sinais de que ele vai engatinhar, eu resolvi usar esse móvel para organizar apenas os seus brinquedos. A ideia é que fique tudo à vista e ao alcance dele. Logo mais, quando ele começar a andar, ele sozinho pode ir buscar o brinquedo que quiser sem precisar pedir para mim ou para o Fa.



Os livros e DVDs que estavam nesse móvel amarelo foram relocados para a prateleira alta sobre o trocador. Como são objetos que ele só vai usar quando for bem grandinho, ficar lá não tem problema algum.




Assim como o método propõe, dividimos os brinquedos que ele mais gosta em dois baldes plásticos bem práticos, e fazemos um sistema de rodízio. Isso permite que ele explore cada um com calma e concentração necessárias. Periodicamente mudamos os brinquedos do balde. 


Hoje, quem entra no quarto dele tem essa visão.

A próxima mudança vai ser no seu cantinho de leitura. Ah, mas isso é papo para outro post.

Até mais, 
Mari.